Posts

Mindfulness: dicas para melhorar o desempenho profissional através da meditação

A técnica de Mindfulness surge em uma época de mudanças, inclusive na área de gestão de pessoas, onde descobrimos cada vez mais que falar sobre desempenho nas empresas vai muito a além de estratégias de treinamento, de motivação através de bonificações ou outras técnicas muito usadas há anos.

O modo de trabalho mudou, os colaboradores mudaram e com isso novas necessidades surgem, e o Mindfulness se difunde nas empresas a fim de suprir essas novas necessidades de uma forma diferente, através da meditação.

Tudo acontece ao mesmo tempo, estamos sempre fazendo múltiplas tarefas, enquanto escrevemos um texto, pensamos também em outra atividade que deve ser entregue, ou se você precisará fazer compras, em uma pausa olhamos as novidades e já lembramos de outra obrigação e nunca temos total atenção em uma tarefa, e a técnica de meditação busca recuperar essa prática.

Mas vamos explicar passo a passo o que é o mindfulness, a importância dele nas empresas hoje em dia e como você pode começar a aplicar a técnica já no seu local de trabalho abaixo. Conheça também outras formas de melhorar o desempenho da sua equipe e saiba qual funciona melhor na sua empresa.

O que é exatamente mindfulness

A técnica mindfulness se vale de conceitos advindos do budismo, porém, no fim da década de 1970, ao ser utilizada como terapia clínica no tratamento de pacientes na escola médica da Universidade de Massachusetts, Estados Unidos, por Jon Kabat-Zinn, professor emérito da instituição, alguns princípios foram adaptados para que o viés religioso fosse atenuado e, assim, pudesse ser praticado por todos, independentemente da religião e crença individual.

O mindfulness busca colocar aquele que prática em um estado de atenção plena, ou seja, tirar o indivíduo do piloto automático, algo tão comum nos tempos modernos, de múltiplas tarefas e bombardeio tecnológico.

Aquele que aplica esse método em seu cotidiano alcança um estado mental de controle e capacidade de maior concentração nas atividades, vivências e sensações do tempo presente. Dentre as muitas conquistas, fruto desse exercício diário, está o aumento de produtividade, da criatividade, uma melhora da memória e no encontro das respostas/soluções para diferentes situações.

Alguns minutos por dia, de 5 a 20, não mais do que isso, já são suficientes para a prática dessa técnica. O praticante dever se concentrar em algo, por exemplo, sua respiração, batimentos cardíacos ou, até mesmo, um objeto. Quando perceber que está deixando outro pensamento entrar em sua mente e não está mais concentrado no item que escolheu como ponto focal, não se julgue, apenas tente suavemente retomar sua atenção aquilo que escolheu no início. Assim, em pouco tempo, o praticante começará a colher frutos desse exercício diário.

DESCUBRA COMO DESENVOLVER E
CONECTAR SEUS FUNCIONÁRIOS!

ebook_desempenho

cta_baixe_ebook_gratis_azul

Como estão aplicando mindfulness nas empresas

Atualmente, muitas empresas veem oferecendo a prática de mindfulness para seus colaboradores, uma vez que, os resultados colhidos, são promissores para os ambientes empresariais. Equipes mais motivadas, focadas, criativas e em sintonia, esses são alguns dos efeitos observados após a implementação da técnica de mindfulness no ambiente de trabalho.

Gigantes do mundo empresarial, como Google e Facebook, já aderiram à técnica. No primeiro caso, desde 2007, exercícios de mindfulness são realizados antes das reuniões e do curso “Procure dentro de você”.

Já no Facebook, aulas de meditação são oferecidas aos funcionários. Anualmente, Mark Zuckerberg, se reúne com outros fundadores de companhias de tecnologia, na conferência Wisdow 2.0, na qual especialistas discutem os benefícios da meditação na era digital. Outros exemplos são: Adobe, Target, Ford, Aetna e Green Mountain Coffee, dentre outras.

Por que as empresas buscam mindfulness?

Para os líderes, a técnica que cria um distanciamento dos pensamentos ajuda a trazer equilíbrio e com isso um ambiente de trabalho melhor, porque o líder é o grande responsável por parte do clima da empresa. Um líder que é inconstante, cheio de inseguranças, passa isso para a equipe e as coisas tendem a dar errado.

Para os colaboradores, é uma ótima forma de manter o foco e aprender a lidar com as distrações diárias que surgem ao longo do dia e podem atrasar o trabalho e torna-lo menos produtivo. Um estudo de Harvard, publicado em 2010, mostra que, de todo o tempo que permanecemos acordados, quase a metade dele (47%) é gasto com a mente no “mundo da Lua”. Ficamos dispersos.

Além disso, a meditação ajuda a dividir os grandes problemas em pequenas partes, o que ensina muito sobre processos e sobre dar pequenos passos cautelosos para a resolução de alguém problema, sem agir impulsivamente.

Dicas para implantar o mindfulness no seu negócio e melhorar o desempenho da equipe

Para a implementação da prática de mindfulness em seu negócio, alguns pontos importantes devem ser levados em consideração, são eles: Tornar o exercício um hábito; decidir uma periodicidade e a frequência para à pratica da atividade; além disso, é preciso convencer os superiores dos benefícios que algo assim acarretará para o grupo como um todo. Iniciar com grupos pequenos e deixar como algo não mandatório ajuda na familiarização por parte dos colaboradores e cria a sensação de interesse curiosidade.

Como praticar:

O ambiente deve ser confortável e com espaço adequado para todos os praticantes da meditação, livre de distrações (ruídos e objetos que remetem ao trabalho podem atrapalhar) e, se possível, o espaço deve conter elementos que remetem à natureza, como pedras, plantas e fontes, pois ajudam a acalmar a mente e a focar-se no momento presente.

  • Sente-se de maneira confortável;
  • Inspire e expire, normalmente, sentindo e percebendo o trajeto do ar;
  • Dê um ritmo a sua respiração, contando: 2 tempos para inspirar, 2 tempos retendo o ar nos pulmões, 2 tempos para expirar e 2 tempos com o pulmão vazio.
  • O importante é focar na sua respiração e sentir a energia vital fluir em você.
  • Se, durante a sua prática, aparecerem pensamentos, deixe-os passar e concentre-se na sua respiração.

Para conhecer outras formas de impulsionar o desempenho da sua equipe, se inscreva no nosso blog e receba toda semana artigos sobre gestão de pessoas e técnicas para melhorar a performance dos colaboradores na empresa.

Sobrecarga: como identificar e ajudar os colaboradores


A sobrecarga é um dos problemas que afeta bastante os funcionários, principalmente durante uma crise, que é quando as companhias precisam trabalhar com um número reduzido de colaboradores e entregar o mesmo tanto que entregava antes. Por fim, o que acontece é a sobrecarga de quem fica que desmotiva os funcionários reflete direto no desenvolvimento e sucesso do negócio.

Ainda que o quadro da empresa não seja diminuído, a sobrecarga de serviço pode acontecer também por outros motivos, como a organização da distribuição de tarefas do líder. Uma pesquisa mostrou que, na maioria dos casos, 20% a 35% das colaborações que agregam valor vêm de somente 3% a 5% dos funcionários. Isso mostra que alguns colaboradores acabam tendo mais participação e mais responsabilidades, sem uma divisão justa.

Por isso, neste artigo vamos falar sobre a importância de saber dividir as tarefas e te ajudar a identificar que sua equipe ou colaborador está sobrecarregado. Além disso, você terá dicas de como otimizar sua divisão de tarefas, para evitar problemas de sobrecarga.

Identificando problemas

Claro que existem os talentos, mas ainda que sejam funcionários capazes e dispostos a ajudar, não devem ser sobrecarregados de tarefas. Essa sobrecarga diminui a qualidade do trabalho e pode gerar problemas posteriores como atraso na entrega, erros, muitas revisões e etc.

Uma pesquisa realizada pelo site Vagas.com, com 2.690 pessoas, revelou que 56% dos trabalhadores brasileiros estão acumulando funções antes realizadas por outras pessoas. Isso com certeza é um reflexo da crise, mas será que com o fim dela vai mudar? O ideal é que gestores melhorem a divisão e organização, porque ainda que as pessoas tenham mais responsabilidades, possam lidar com elas sem consequências negativas para si ou para a empresa.

Mas como perceber que o seu funcionário está sobrecarregado? Bem, alguns sinais podem ajudar o gestor a identificar esse problema.

  1. Desmotivação: Quando o funcionário apresenta sinais de que está insatisfeito, não fica empolgado ou demonstra satisfação de executar suas tarefas ou mesmo de estar presente no trabalho. Em 2013, mais de 130 mil funcionários que responderam a pesquisa feita pela Você S/A, indicaram que um excelente lugar para trabalhar é onde eles sentem satisfação e motivação pelo trabalho que realizam. Este fator ficou à frente de crescimento na carreira e remuneração.

DESCUBRA COMO DESENVOLVER E
CONECTAR SEUS FUNCIONARIOS!

ebook_desempenhocta_baixe_ebook_gratis_azul

 

  1. Procrastinação: Esse é um sinal claro de que algo está errado. Quando o funcionário vai deixando as tarefas para serem realizadas o mais próximo possível da entrega e se atrapalha é um sinal de que ele não queria realizar aquilo, ou na dificuldade preferiu empurrar o problema do que enfrentá-lo e entregar o quanto antes. Engana-se quem pensa que a procrastinação é apenas um problema de gestão de tempo. O pesquisador Joseph R. Ferrari da DePaul University explica que se trata também de uma tática muito usada por quem tem problemas de baixa auto-estima. Além disso a pesquisa da American Psychological Association, mostrou que a procrastinação muitas vezes começa na escola.
  1. Conflitos: Pequenos problemas parecem se tornar coisas gigantes e o clima se torna cada vez mais hostil. Muitas vezes o clima de extrema competitividade e injustiça por conta da sobrecarga leva à conflitos, que posteriormente levam à desmotivação.
  1. Adoecimento: Muitos funcionários podem desenvolver doenças graves como depressão, ansiedade e pânico por conta da pressão, mas os pequenos sinais devem ser observados também, como dores de cabeça, no corpo e baixa imunidade. A pesquisa Stress Management Association feita com 1000 profissionais brasileiros, apontou que o número de trabalhadores com doenças como ansiedade e síndrome do pânico aumentou de 8% para 13% entre 2013 e 2015. E pulou de 47% para 53% a quantidade de pessoas que usam bebida alcoólica para anestesiar o estresse do trabalho. Outras 57% se automedicam.

Feedback

No caso de um líder com muitos liderados pode ser difícil ter tempo para observar cada um dos colaboradores no dia a dia, por isso existe outra forma de identificar problemas de sobrecarga de tarefas e pode ser usado a partir da avaliação de desempenho já desenvolvida na empresa.

O feedback pode ser o grande aliado. Usar do tempo de feedback para se aprofundar nas perguntas é a forma ideal de saber o que está acontecendo com o colaborador e a equipe. Ainda que muitos colaboradores não se sintam à vontade em responder avaliações para terem feedback, é importante que a empresa faça continuamente, e crie uma cultura, para que a relação seja cada vez mais aberta e transparente.

Se você não sabe como fazer feedback, veja aqui no blog alguns tipos de feedback e como escolher o que mais se adapta a você e a sua empresa. Além disso você pode conhecer quais os tipos de avaliação de desempenho para aplicar antes do feedback.

Ajudando os sobrecarregados

Segundo a pesquisa da consultoria internacional, Conference Board, a produtividade de um trabalhador brasileiro equivale a apenas 25% da produtividade de um americano. Isso mostra que temos um problema que pode ser resolvido com boa gestão. Funcionários que não estão sobrecarregados são mais produtivos.

No Brasil os profissionais estão menos engajados com as empresas em relação a 2015; 62% dos brasileiros, em 2016, afirmam que estão engajados com suas organizações (no ano anterior, esse número era de 66%).

Abaixo separamos algumas dicas para melhorar a organização das tarefas e otimizar o trabalho da sua equipe, sem sobrecarregar ninguém.

  1. Encoraje uma mudança comportamental

Nem sempre uma pessoa está sobrecarregada porque outra está deixando de fazer algo. Há diversos perfis de funcionários, e alguns tem como característica própria serem muito pró ativos e sempre quererem ajudar. É importante que o gestor mostre à eles que eles devem dizer não para algumas tarefas e que devem conhecer o próprio limite para também pedir ajuda quando não darem conta do trabalho.

  1. Organizar os objetivos

O líder deve sempre deixar claro quais são os objetivos de cada tarefa. Muitas vezes um colaborador trabalha arduamente por um caminho e ainda assim não consegue atingir o objetivo. Se o objetivo é aumentar a venda do item X, não há porque o colaborador e o gestor investirem mais treinamento voltado para o tem Y. Fazer pequenas metas, pode ajudar a ter mais foco no objetivo final de cada um.

DESCUBRA COMO DESENVOLVER E
CONECTAR SEUS FUNCIONARIOS!

ebook_desempenhocta_baixe_ebook_gratis_azul

  1. Saber quais processos consomem mais energia

Muitas vezes alguém está trabalhando em um projeto que exige muita dedicação e quando o gestor reconhece isso, consegue equilibrar a divisão de tarefas. Por isso é importante sempre estar atualizado do que a equipe está fazendo, conhecer as limitações. Uma boa ideia é realizar reuniões rápidas e objetivas para saber o que cada um está fazendo e como está se desenvolvendo.

  1. Definir prioridades

Como já falamos, se o objetivo é um, porque trabalhar em algo que não vai ajudar neste objetivo? Definir prioridades é essencial. Algumas tarefas podem ser realizadas com mais calma por terem um prazo de entrega mais flexível. Sempre defina prioridades com os colaboradores, isso evita aquela pressão de terminar tudo em um único prazo e possíveis erros por conta de estresse e falta de atenção.

  1. Tenha uma boa comunicação

O líder só pode ajudar a equipe quando tem uma boa comunicação com ela. É importante sim que ele reserve um tempo para gerenciar a equipe de perto, saiba como está o desenvolvimento e cada um. Isso evita muitos problemas futuros e torna tudo mais dinâmico e transparente. Com o tempo, cria-se um hábito, e a comunicação não será mais apenas do líder com os liderados, mas vice-versa.

Ferramentas tecnológicas podem ser uma facilidade para líderes que tem menos tempo para gerenciar suas equipes de perto. Hoje já existem diversas ferramentas no mercado para ajudar na gestão de pessoas, como o SER Casting e o SER Desempenho. Saiba a importância da tecnologia e como ela pode trazer um impacto positivo na gestão de pessoas.

Descubra como identificar problemas usando o feedback

O feedback é uma ótima ferramenta para saber como seu negócio está internamente, principalmente para aqueles que têm funcionários que são a ponta de contato com os clientes, como o varejo.  O feedback ajuda a diminuir a rotatividade e a melhorar o desempenho de toda a equipe e sabe por quê? Porque comunicação ainda é essencial dentro de qualquer empresa.

Claro que não existe uma fórmula sobre dar feedback que seja 100% bem-sucedida para todas as empresas, de todos os setores. Por isso, há diversas maneiras de se realizar o feedback, seja ele, positivo ou negativo. Neste post que fizemos para o nosso blog listamos diferentes formas como a autoavaliação, avaliação 360 que são mais conhecidas, como também avaliação líder-gestor e da equipe toda. Conheça cada uma delas detalhadamente.

Cada empresa escolhe a melhor forma como dar o feedback, a única maneira que ele não deve acontecer é no famoso formato “sanduíche”. Não se assuste, a técnica foi descrita no clássico livro “Gerente-Minuto”, que foi muito popular na década de 90, principalmente em grandes empresas de consultoria como a McKinsey.

Método Sanduíche Feedback

O método “Sanduíche” acontece quando o gestor elogia o colaborador, fala todos os atributos positivos do trabalho dele, diz o quão importante ele é para a empresa e como traz bons resultados para o time, o que seria a primeira fatia.

Em seguida, como recheio, o gestor fala o que precisa ser corrigido, faz as críticas e toda aquela parte difícil. E no fim, a outra fatia do pão, é quando o gestor após fazer a parte difícil, tenta amenizar a situação lembrando o colaborador que apesar das críticas ele ainda é importante para a empresa.

Bem, agora vamos falar sobre como identificar os problemas internos através de uma boa avaliação dos colaboradores.

CONHEÇA EM NOSSO NOVO E-BOOK
AS MELHORES PRÁTICAS PARA APLICAR
COM SUCESSO UMA GESTÃO DE DESEMPENHO
 

ebook_desempenho
cta_baixe_ebook_gratis_azul

Avaliação de Desempenho

A avaliação de Desempenho é o que vai te ajudar a formular seu feedback. É nela que você como gestor vai se amparar para ter bons argumentos e justificar todo o feedback, seja ele bom ou ruim. Então antes de saber como o feedback vai te ajudar a identificar o problema, você pode tentar descobrir por aqui.

A avaliação que antecipa o feedback tem por objetivo identificar o "gap" entre o real e o ideal — ou melhor, o quanto cada funcionário deveria produzir e o quanto ele de fato produz, dando aos gestores uma visão muito mais nítida do seu time. Além disso, ela detém seu foco nas competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) de cada avaliado.

Caso você ainda não tenha um sistema de Avaliação de Desempenho, você pode conhecer alguns deles e como funcionam neste post que fizemos para o blog. Aqui mostramos 5 tipos de avaliação que você pode escolher para aplicar com seus colaboradores, entre elas a Avaliação por escala gráfica, – uma das mais conhecidas – a avaliação 360 graus, a avaliação por escolha forçada, avaliação por competências e a avaliação por objetivos.

Como identificar problemas através do feedback

O feedback deve ser realizado com bastante atenção e tempo, nada de  5 minutinhos sentados respondendo mais perguntas, que provavelmente já foram respondidas na Avaliação de Desempenho. Aqui vamos dar algumas dicas que vão te ajudar a focar na conversa e a partir dela descobrir sinais de que há algum problema na empresa ou com o colaborador.

 

  • SEJA RESERVADO E GENTIL:
    Sim, pode parecer algo simples, mas nem sempre é, ainda mais se o gestor tiver de dar feedbacks negativos. Ainda assim é importante ser gentil e manter-se calmo, para que o colaborador saiba que você contar com você. Um exemplo, se você grita, ofende, diminui ou humilha um colaborador durante um feedback, ele se retrai e não consegue se abrir para se defender ou mesmo para expor o que está vendo de errado na empresa. Essa situação se agrava quando o gestor ou chefe resolve fazer um feedback em um local pouco reservado. A presença de outros colaboradores também pode deixar o funcionário desconfortável.

 

  • PERMITA QUE OS COLABORADORES ERREM E APRENDAM COM OS ERROS: 
    Outra atitude comum que faz com que os colaboradores tentem esconder qualquer erro ou deslize é não permitir que eles errem. É importante o gestor mostrar que o erro faz parte do processo, claro que não é ideal que aconteça sempre, mas quando acontecer não fazer dele o maior problema da empresa. Mostrar o aprendizado a partir do erro é algo que quase nunca acontece e para os colaboradores é importe que o gestor os ajude a enxergar que o erro não é de todo ruim, que ali têm uma lição que não deve ser ignorada

 

  • MANTENHA A PERIODICIDADE DO FEEDBACK: 
    Como um gestor pode conseguir identificar problemas através do feedback dos funcionários, se não mantém uma periodicidade do mesmo? É importante fazê-lo em datas específicas e melhor ainda que os colaboradores saibam, pois podem se preparar para dar melhores informações sobre o próprio desempenho e de toda a equipe.

CONHEÇA NESSE E-BOOK 
OS SEGREDOS PARA IDENTIFICAR
E PROMOVER SEUS TALENTOS 

ebook_gestao_de_talentos
cta2-copia

Problema de não ter feedback – sem feedback, sem soluções

Sem feedback regular uma empresa não tem uma boa comunicação. Sem comunicação dificilmente a empresa conseguirá encontrar a causa de um problema e mesmo resolvê-lo. É importante que gestores e colaboradores estejam alinhados do que acontece internamente, porque juntos todos pensam e trabalham melhor. Como já falamos aqui, o feedback é bom para ambos os lados e por isso deve ser valorizado.

E exatamente como o feedback pode ajudar a encontrar soluções? Bem, o gestor que conversa com seus colaboradores sabe o que acontece na sua empresa, fica bem informado sobre os problemas e pode também receber muitas sugestões. Não é difícil encontrar grandes gestores e chefes que costumam perguntar a seus funcionários como resolveriam algum problema que está afetando a todos. Pode ser valioso escutar novas pessoas e ver de diferentes ângulos. Pode ser que a solução não surja dali, mas uma nova ideia com certeza surgirá.

Quando só uma pessoa está encarregada das soluções é bem mais difícil acertar do que quando se ouve várias sugestões. Monopolizar a solução de problemas pode levar o gestor a optar por decisões não muito boas ou inadequadas. Ter uma boa comunicação é a base para a resolução de qualquer problema interno.

Um bom feedback te dirá tudo sobre sua empresa. O colaborador é a peça chave para saber o que se passa internamente, por isso é importante valorizá-lo e valorizar a ferramenta que vai ajudá-lo a crescer e te ajudar a enxergar os problemas e soluções de uma forma muito mais simples do que antes.