A importância da autoliderança para a equipe

2022-02-07T12:03:31-03:0027 janeiro, 2022|Gestão de Pessoas|

Entenda a importância da autoliderança e saiba como desenvolvê-la em seus colaboradores.

Você sabe a diferença entre soft skills e hard skills?

Talvez essa diferença não seja tão clara nos processos de recrutamento e seleção. Inclusive, é muito comum que alguns candidatos e até profissionais de RH em algum momento possam confundir habilidades técnicas e comportamentais.

Exemplo disso, é que é comum em entrevistas de seleção, quando o candidato é questionado quanto as suas habilidades, em meio as capacidades técnicas, ele cite habilidades como negociação, comunicação não violenta ou liderança.

Fica claro com isso a necessidade de trazer esclarecimentos sobre a diferença entre esses termos e mais que isso, discutir a importância deles.

Portanto, para ficar claro, hard skills se trata de conhecimentos técnicos, adquiridos através da educação formal, ou de cursos, palestras e até da prática de trabalho.

Por outro lado, as soft skills são as habilidades comportamentais ou a capacidade que as pessoas têm de trabalhar em equipe, estabelecer relações humanas empáticas e produtivas. É a forma como seu colaborador se relaciona com o outro e consigo mesmo.

Considerando a complexidade de cada uma, podemos afirmar que as soft skills estão entre as habilidades mais complexas, e mais necessárias na formação de equipes de alta performance. Afinal, habilidades técnicas são facilmente desenvolvidas através de programas de treinamento bem estruturados.

Já as habilidades comportamentais, são mais subjetivas. Isso não as torna impossíveis de serem ensinadas, mas com certeza mais difíceis de serem aprendidas. O que faz com que cada vez mais, as empresas busquem por candidatos que já possuam determinadas soft skills.

Nesse artigo queremos falar especificamente de uma soft skills de grande relevância para qualquer candidato, independente da função ou posição hierárquica: a autoliderança. Acompanhe com a gente.

Autoliderança: capacidade de gerenciar a si mesmo

O mercado de trabalho, de forma acelerada, vem mudando o jeito de ver e fazer o trabalho. Inclusive na gestão de pessoas.

Líderes e profissionais de RH buscam desenvolver processos que possibilitem a formação de equipes altamente performáticas, comprometidas com os resultados da organização.

O desenvolvimento desses processos exige o investimento de tempo e energia, tornando com isso o trabalho do colaborador mais solitário no que tange o acompanhamento da liderança.

E é nesse sentido, que a autogestão do tempo, da carreira, dos processos e das entregas exige dos novos talentos uma soft skill muito importante: a autoliderança.

Autoliderança é a capacidade que o colaborador tem de gerenciar seu próprio trabalho, sua carreira e suas entregas. Ou seja, sua capacidade de se autoliderar!

Considerando as mudanças no mercado de trabalho e até na gestão de gestão, a autoliderança é a habilidade que permite ao colaborador o planejamento e desenvolvimento de sua carreira.

Portanto, sua importância está ligada a oportunidade que o colaborador tem de se comprometer com seu próprio crescimento profissional, deixando com isso de depender unicamente dos processos de desenvolvimento da organização.

Dessa forma, profissionais dotados de autoliderança, se tornam protagonistas de seu sucesso profissional e com isso se tornam disputados pelas melhores empresa no mercado.

Além disso, profissionais dotados de autoliderança acabam desenvolvendo outras habilidades como resiliência, inteligência emocional e autoconhecimento, que são primordiais para uma carreira de sucesso.

Quais os benefícios de ter colaboradores dotados de autoliderança?

Pessoas dotadas de autoliderança são inovativas, estão sempre buscando novas formas de fazer, enxergam oportunidades diante de problemas. Por si só, essas são características que tornam a autoliderança de um colaborador uma habilidade bastante benéfica para qualquer empresa.

Mas os benefícios vão além.

Ter uma equipe formada por colaboradores que detêm essa habilidade permite que tanto RH quanto liderança concentrem energia em outras ações que não sejam o gerenciamento da equipe.

Recrutamento e seleção

Dessa forma, uma equipe formada por pessoas que possuem autoliderança, tem maiores chances de sucesso. Além de conseguir gerenciar o próprio trabalho, pessoas dotadas de autoliderança tem uma leitura mais apurada do outro, com isso, trabalham melhor em equipe.

Além disso, sua capacidade de resolver problemas de forma assertiva e empática e seu sucesso profissional, acabam se tornando fatores de inspiração para o desenvolvimento de seus pares.

Com isso a empresa ganha uma equipe mais coesa, produtiva, mais colaborativa, criativa e mais engajada.

Quais os pilares da autoliderança?

A autoliderança se apoia em alguns pilares que são de extrema importância para seu desenvolvimento e manutenção. Abaixo, destacamos alguns desses pilares e como o RH pode ajudar o colaborador a entendê-los.

1- Autoconhecimento

Todo processo de desenvolvimento começa no autoconhecimento. E para desenvolver a autoliderança, não é diferente. Todo processo de mudança exige um conhecimento aprofundado de quem se é, seus pontos fortes e pontos de melhoria.

Nesse sentido, uma boa opção de intervenção do RH, na formação do autoconhecimento de seus colaboradores, são as avaliações de desempenho e o feedback. Ao ter a oportunidade de avaliar seu próprio desempenho, o profissional tem a oportunidade de refletir sobre suas posturas e características no trabalho.

2- Aprendizado

Para ter condições de investir no desenvolvimento de sua carreira, o colaborador precisa entender a importância de adquirir novos aprendizados e habilidades. Afinal, ter acesso a novos conhecimentos podem descontruir crenças limitantes e permitir a construção de novas formas de ver e pensar o trabalho e a carreira.

Dessa forma, a empresa pode contribuir para esse processo através da promoção de uma cultura de aprendizagem contínua, estimulando os colaboradores a buscarem novos conhecimentos.

3- Responsabilidade, disciplina e liberdade

A autoliderança envolve esses três pilares: responsabilidade quanto ao seu processo de desenvolvimento, disciplina para percorrer o caminho de desenvolvimento e liberdade de fazer escolhas com autenticidade que irão impactar seu resultado.

É possível desenvolver autoliderança?

Conforme falamos mais acima, as soft skills em geral são habilidades comportamentais subjetivas. Apesar disso, é possível desenvolver essas habilidades em seus colaboradores através de processos que envolvem alguns fatores.

Em suma, o principal fator que permitirá o desenvolvimento da autoliderança em seus talentos é a cultura organizacional. O ambiente organizacional tem grande influência no estímulo de comportamentos que levem ao desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores.

Isso porque tanto a empresa, quanto RH, quanto a liderança precisam inspirar os colaboradores a buscar a melhoria contínua.

Quando falamos de autoliderança e o protagonismo do colaborador em seu desenvolvimento profissional, não isentamos de nenhuma forma a empresa de sua responsabilidade de oferecer suporte aos seus colaboradores nesse sentido.

Sendo assim, é preciso que a cultura organizacional fomente valores como autonomia, pensamento crítico e autossuficiência. Dessa forma, essa cultura irá favorecer o desenvolvimento de profissionais com habilidades de gerenciar a própria carreira, como a autoliderança.

Concluindo

Em resumo podemos afirmar que a autoliderança é uma habilidade que ajudará o colaborador a direcionar de maneira correta os rumos de sua carreira. No entanto, os benefícios não são só do colaborador. Pelo contrário, são tanto para o colaborador, quanto para a empresa.

Afinal, quanto maior o crescimento profissional de um colaborador, maior valor ele terá no mercado de trabalho. Em contrapartida, para a organização, profissionais com autoliderança promovem a formação de equipes de alta performance, impactando de forma significativa os resultados da organização.

Portanto, desenvolver a autoliderança precisa ser uma preocupação do colaborador e da empresa, já que esforços conjuntos irão beneficiar ambos os lados.

Agora que você já entende o que é a autoliderança, sua importância e como promover seu desenvolvimento entre seus colaboradores, que tal oferecer ao seu RH a possibilidade de se desenvolver de forma estratégica?

Conheça a SER HCM e oportunize um ambiente de automação e otimização de processos em gestão de pessoas da sua empresa. Quer saber como? Entre em contato conosco e receba maiores informações.

E se você gostou desse artigo e quer receber outros conteúdos semelhantes, corre e assine nossa newsletter. Toda semana tem conteúdos novos para inspirar o seu RH.

Compartilhar este Artigo

2 Comentários

  1. José António Davuca 24 de março de 2022 em 03:38- Responder

    Excelente texto de formação continuada do Responsável dos RH.
    Vou partilhar com os meus colegas.

    • Rafaela Pelisson 6 de abril de 2022 em 15:50- Responder

      Que maravilha!!!!

      Ficamos muito felizes que gostou do artigo!

Deixar um comentário

Ir ao Topo