5 dicas para fazer um PDI eficaz

2022-04-20T10:54:03-03:0018 abril, 2022|Gestão de Talentos|

O PDI é uma excelente ferramenta no desenvolvimento de talentos. Acompanhe nesse artigo 5 dias para construir um planejamento mais eficaz com seus colaboradores e no final tem uma dica bônus.

A gestão de talentos da empresa é uma responsabilidade compartilhada entre o RH, a liderança e o próprio colaborador. Cada um com sua parcela de contribuição, para que juntos, possam obter o melhor desempenho e resultados mais promissores.

Certamente, essa é uma percepção atual da ação do RH na gestão de pessoas. Há alguns anos acreditava-se que essa era uma atuação somente desse setor, o que deixava o colaborador totalmente dependente da empresa em seu crescimento profissional.

Assim sendo, o entendimento de que cada parte precisa investir esforços no desenvolvimento profissional, trouxe para colaborador e empresa um papel de protagonismo na formação de equipes de alta performance.

Dessa forma, cada colaborador é responsável pelo seu processo de autoconhecimento e pelo gerenciamento de sua carreira. Por outro lado, a empresa, representada pelo setor de recursos humanos tem a responsabilidade de viabilizar processos que coloquem esse colaborador na rota de desenvolvimento.

Sendo assim, no artigo de hoje queremos falar da importância do PDI – Plano de Desenvolvimento Individual, na construção de uma carreira de sucesso dentro da organização.

O PDI pode ser considerado uma ferramenta bastante versátil, já que sua utilização permite que tanto o colaborador, quanto o setor de RH identifiquem suas responsabilidades e acompanhem de perto o alcance dos resultados propostos nele.

Quer entender melhor como isso funciona? Acompanhe com a gente esse artigo em que separamos 5 dicas que te ajudarão a construir um PDI bastante eficaz.

Plano de desenvolvimento para quê?

Um dos maiores erros que tanto empresa quanto o colaborador podem cometer é acreditar que não existe a necessidade de planejamento para desenvolvimento profissional.

Certamente, um colaborador comprometido com a empresa poderá adquirir conhecimento e expertise naquilo que executa devido à prática de trabalho. Mas é bem possível que ele passe uma boa parte de sua carreira profissional numa posição operacional, mesmo tendo habilidades estratégicas, por falta de planejamento.

Por parte da empresa, a falta de planejamento pode tornar um talento em potencial obsoleto e levá-lo a desmotivação, baixa produtividade e ao desligamento espontâneo.

Fazer um plano de desenvolvimento é um compromisso com o desenvolvimento profissional. E ele pode ser feito individualmente pelo colaborador ou juntamente com a empresa.

Dentro do espaço organizacional, o PDI é como um contrato feito pela empresa e pelo colaborador que visa seu crescimento, aprendizado contínuo e progressão de carreira.

Logo, o PDI é como um roteiro, que permite que o colaborador entenda o lugar que se encontra no momento e quais degraus pode vencer em seu desenvolvimento profissional. E como ele é um documento composto por metas, prazos e objetivos, ele permite o foco nesse desenvolvimento.

E esse foco é muito importante. Afinal, é bastante comum que por falta de planejamento, alguns profissionais acabam investindo em escolhas aleatórias e percam tempo e energia, sem conquistas realizadas.

No entanto, é preciso se atentar para alguns pontos importantes, de forma a tornar o PDI eficaz na formação de profissionais de alta performance. Para te ajudar separamos 5 super dicas. Dá uma olhadinha!

1 – Estabeleça um objetivo

Antes de mais nada um PDI precisa ter um objetivo.

Pensando no ambiente organizacional, esse objetivo pode ser desde adquirir uma nova habilidade para desempenhar melhor uma função até uma promoção.

Sendo assim, esse objetivo precisa ser acordado entre o colaborador e a liderança. Aqui é preciso considerar as expectativas do colaborador, as necessidades da empresa e a transparência nesse processo.

Afinal a falta de transparência pode despertar expectativas unilaterais no colaborador, que não cumpridas, podem culminar em sua desmotivação.

Portanto, ao traçar um objetivo para a montagem do PDI, converse bastante com o colaborador e permita que esse momento seja claro o suficiente para não gerar dúvidas ou ruídos de comunicação.

2- Identifique os pontos de melhoria

Se a ideia do PDI é promover desenvolvimento, o foco precisa ser nos pontos de melhoria, voltados ao objetivo. Dessa forma, é muito importante que sejam identificadas as habilidades necessárias para o alcançar e os pontos de melhoria do colaborador.

Para isso, o RH pode utilizar os resultados de avaliações de desempenho, competências e autoavaliação do colaborador. Inclusive, usar a autoavaliação é muito importante, porque o PDI precisa fazer sentido para o colaborador.

Se dentro do plano de desenvolvimento, ele não reconhecer suas necessidades, é bem provável que ele o considere uma imposição e não dê andamento ao processo. E o pior, pode acabar desmotivado e desacreditado da empresa e de sua liderança.

Portanto, antes de traçar metas e planos, converse com o colaborador. Permita que ele analise os pontos identificados e até aponte outros que considera importantes de serem trabalhados.

É possível que nem todos sejam necessidades urgentes ou realmente importantes para suprir as necessidades da organização e do profissional. Nesse sentido, é muito importante que haja um diálogo aberto e transparente, de forma que expectativas e necessidades sejam alinhadas.

3 – Estabeleça uma prioridade

São muitas necessidades e há muita expectativa de ambos os lados, concorda? Mas uma dica de ouro na hora de planejar um PDI é estabelecer prioridades.

Ter diversos objetivos pode ser confuso e acabar impedindo o engajamento do colaborador. Portanto, mesmo que exista um objetivo macro, o PDI precisa conter pequenos objetivos que levarão ao resultado esperado.

Só para exemplificar, se o colaborador tem como objetivo assumir a liderança de uma área ou setor da empresa é preciso identificar quais habilidades serão necessárias para que ele assuma esse posto.

Sendo assim, supondo que ele precise aprender um novo idioma, dominar técnicas de negociação ou desenvolver outras habilidades, comece pelos objetivos de menor complexidade até chegar aos mais complexos. Considere também quais serão essenciais para seu crescimento e quais são habilidades bônus.

Isso permitirá que seu colaborador identifique e comemore cada conquista e, com isso, se mantenha motivado para alcançar o objetivo macro.

4 – Crie um cronograma

Sabe aquela famosa frase do Gato Cheshire à Alice, no livro Alice no País das Maravilhas que diz: “Se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.”? Pois é, na montagem de um PDI ela serve tanto para traçar um objetivo, quanto para montar um cronograma.

Se a primeira dica para um PDI eficaz é ter um objetivo, outra dica de ouro é: faça um bom cronograma. E para ser considerado bom, esse cronograma precisa conter as metas e os prazos necessários ao cumprimento de cada meta.

Dessa forma, você pode agregar ao PDI do seu colaborador, outras ferramentas que podem auxiliá-lo nisso, como por exemplo, o método SMART. Já que esse cronograma precisa ser realista e possuir metas que sejam possíveis de alcançar, esse método irá nortear essa parte do trabalho facilitando a criação de um cronograma possível de ser acompanhado.

E por falar em acompanhar o cronograma, eis a quinta dica!

5 – Acompanhe o desenvolvimento do seu colaborador

Certamente essa é uma das dicas mais valiosas. Afinal, é possível que a empresa trace um objetivo, monte um PDI e acabe deixando o cumprimento dele à cargo do colaborador.

Como dissemos lá no início, a responsabilidade pelo desenvolvimento profissional de um talento não é responsabilidade só da empresa. Mas também não pode ser só do colaborador.

Portanto, acompanhar o andamento do PDI de perto é uma oportunidade de apoiar o colaborador nessa jornada e permitir que pequenos ajustes sejam feitos, de forma que o objetivo seja alcançado.

Nessa jornada de desenvolvimento é possível que nem tudo saia como planejado. E se não houver um acompanhamento disso, talvez isso seja identificado somente no momento de tomada de decisão por parte da empresa, o que pode prejudicar o crescimento do colaborador.

Comemore as conquistas

Vamos considerar essa como uma dica bônus. Comemorar o resultado da sua equipe funciona como fator de motivação para novas conquistas.

Portanto, depois de toda a jornada de criação do PDI e acompanhamento do processo de desenvolvimento de seus talentos, comemore com eles os resultados.

Fazer gestão de pessoas extrapola o cumprimento de processos e alcance de metas. É preciso criar relações humanizadas que valorize as conquistas do time, que consequentemente, alcançam a empresa.

Portanto, permita que sua equipe saiba da importância de suas conquistas para a empresa e do quanto a empresa valoriza o empenho e dedicação de cada um deles.

Em suma podemos afirmar que o PDI é uma ferramenta que traz resultados e se aplicada de forma correta, contribui e muito para a formação de uma equipe de alta performance.

Agora, a dica da dica é a solução SER HCM. Sabia que a SER tem diversas possibilidades para a gestão estratégica de pessoas da sua empresa, inclusive na montagem e acompanhamento do PDI? Quer saber mais sobre isso? Entre em contato com a nossa equipe e conheça todas as possibilidades da SER HCM.

E se você quiser mais dicas e novidades sobre gestão de pessoas, não deixe de assinar nossa Newsletter e ficar por dentro dos melhores conteúdos para o seu RH.

Compartilhar este Artigo

Deixar um comentário

Ir ao Topo